Quanto a nós, não podemos nos calar sobre o que vimos e ouvimos.

 

Leitura – At 4,13-21

Quanto a nós, não podemos nos calar
sobre o que vimos e ouvimos.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 4,13-21

Naqueles dias:
Os chefes dos sacerdotes, os anciãos e os escribas,
ficaram admirados ao ver a segurança
com que Pedro e João falavam,
pois eram pessoas simples e sem instrução.
Reconheciam que eles tinham estado com Jesus.
No entanto viam, de pé, junto a eles,
o homem que tinha sido curado.
E não podiam dizer nada em contrário.
Mandaram que saíssem para fora do Sinédrio,
e começaram a discutir entre si:
‘O que vamos fazer com esses homens?
Eles realizaram um milagre claríssimo,
e o fato tornou-se de tal modo conhecido
por todos os habitantes de Jerusalém,
que não podemos negá-lo.
Contudo, a fim de que a coisa
não se espalhe ainda mais entre o povo,
vamos ameaçá-los, para que não falem mais a ninguém
a respeito do nome de Jesus.’
Chamaram de novo Pedro e João
e ordenaram-lhes que, de modo algum,
falassem ou ensinassem em nome de Jesus.
Pedro e João responderam:
‘Julgai vós mesmos, se é justo diante de Deus
que obedeçamos a vós e não a Deus!
Quanto a nós, não  podemos nos calar
sobre o que vimos e ouvimos.’
Então, insistindo em suas ameaças,
deixaram Pedro e João em liberdade,
já que não tinham meio de castigá-los,
por causa do povo.
Pois todos glorificavam a Deus
pelo que havia acontecido.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 117.  R. Dou-vos graças, ó Senhor, porque me ouvistes.

Dai graças ao Senhor, porque ele é bom!
‘Eterna é a sua misericórdia!’
O Senhor é minha força e o meu canto,
e tornou-se para mim o Salvador.
‘Clamores de alegria e de vitória
ressoem pelas tendas dos fiéis.
A mão direita do Senhor fez maravilhas,
a mão direita do Senhor me levantou,
a mão direita do Senhor fez maravilhas!’
O Senhor severamente me provou,
mas não me abandonou às mãos da morte.
Abri-me vós, abri-me as portas da justiça;
quero entrar para dar graças ao Senhor!
‘Sim, esta é a porta do Senhor,
por ela só os justos entrarão!’
Dou-vos graças, ó Senhor, porque me ouvistes
e vos tornastes para mim o Salvador!

 

Evangelho – Mc 16,9-15

Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 16,9-15

Depois de ressuscitar,
na madrugada do primeiro dia após o sábado,
Jesus apareceu primeiro a Maria Madalena,
da qual havia expulsado sete demônios.
Ela foi anunciar isso aos seguidores de Jesus,
que estavam de luto e chorando.
Quando ouviram que ele estava vivo
e fora visto por ela, não quiseram acreditar.
Em seguida, Jesus apareceu a dois deles,
com outra aparência, enquanto estavam indo para o campo.
Eles também voltaram e anunciaram isso aos outros.
Também a estes não deram crédito.
Por fim, Jesus apareceu aos onze discípulos
enquanto estavam comendo,
repreendeu-os por causa da falta de fé
e pela dureza de coração,
porque não tinham acreditado
naqueles que o tinham visto ressuscitado.
E disse-lhes:
‘Ide pelo mundo inteiro
e anunciai o Evangelho a toda criatura!
Palavra da Salvação.

 

 

“Para que possamos conhecer verdadeiramente Jesus, duas coisas são necessárias. A primeira é a atuação da graça divina que nos revela quem é Jesus na sua divindade e na sua atuação messiânica e a segunda é a nossa abertura a essa graça para que possamos acolher a atuação divina em nós. A partir desses dois elementos, podemos compreender melhor qual é o papel do evangelizador e qual a essência da nossa missão. Movidos pelo grande protagonista da missão que é o Espírito Santo, somos chamados a ser canais de graça na vida das pessoas e ao mesmo tempo a preparar os corações das pessoas para que sejam terreno fértil para o evangelho e acolham a Cristo em suas vidas”. CNBB

 

 

viverevangelizando

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *