Ser Cristão é reconhecer o Cristo que vive em nosso existir e no viver de cada irmão.

 

Bom dias irmãos(as) em Cristo. Nos alegremos sempre em viver buscando Cristo através de nosso testemunho. Eis a nossa missão: Evangelizar hoje e sempre com todo nosso viver em contínua sintonia e afinados com Cristo Jesus.

Leitura – Gn 1,1-19

Deus disse e assim se fez.
Leitura do Livro do Gênesis 1,1-19

No princípio Deus criou o céu e a terra.
A terra estava deserta e vazia,
as trevas cobriam a face do abismo
e o Espírito de Deus pairava sobre as águas.
Deus disse: ‘Faça-se a luz!’
E a luz se fez.
Deus viu que a luz era boa
e separou a luz das trevas.
E à luz Deus chamou ‘dia’
e às trevas, ‘noite’.
Houve uma tarde e uma manhã:
primeiro dia.
Deus disse:
‘Faça-se um firmamento entre as águas,
separando umas das outras’.
E Deus fez o firmamento,
e separou as águas que estavam embaixo,
das que estavam em cima do firmamento.
E assim se fez.
Ao firmamento Deus chamou ‘céu’.
Houve uma tarde e uma manhã:
segundo dia.
Deus Disse:
‘Juntem-se as águas que estão debaixo do céu
num só lugar
e apareça o solo enxuto!’
E assim se fez.
Ao solo enxuto Deus chamou ‘terra’
e ao ajuntamento das águas, ‘mar’.
E Deus viu que era bom.
Deus disse:
‘A terra faça brotar vegetação
e plantas que dêem semente,
e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie,
que tenham nele sua semente sobre a terra’.
E assim se fez.
E a terra produziu vegetação
e plantas que trazem semente segundo a sua espécie,
e árvores que dão fruto
tendo nele a semente da sua espécie.
E Deus viu que era bom.
Houve uma tarde e uma manhã:
terceiro dia.
Deus disse:
‘Façam-se luzeiros no firmamento do céu,
para separar o dia da noite.
Que sirvam de sinais para marcar as épocas
os dias e os anos,
e que resplandeçam no firmamento do céu
e iluminem a terra’.
E assim se fez.
Deus fez os dois grandes luzeiros:
o luzeiro maior para presidir ao dia,
e o luzeiro menor para presidir à noite,
e as estrelas.
Deus colocou-os no firmamento do céu
para alumiar a terra,
para presidir ao dia e à noite
e separar a luz das trevas.
E Deus viu que era bom.
E houve uma tarde e uma manhã:
quarto dia.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 103. R. Alegre-se o Senhor em suas obras!

Bendize, ó minha alma, ao Senhor!
Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande!
De majestade e esplendor vos revestis
e de luz vos envolveis como num manto.
A terra vós firmastes em suas bases,
ficará firme pelos séculos sem fim;
os mares a cobriam como um manto,
e as águas envolviam as montanhas.
Fazeis brotar em meio aos vales as nascentes
que passam serpeando entre as montanhas;
às suas margens vêm morar os passarinhos,
entre os ramos eles erguem o seu canto.
Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras,
e que sabedoria em todas elas!
Encheu-se a terra com as vossas criaturas!
Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

Evangelho – Mc 6,53-56

E todos quantos o tocavam ficavam curados.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 6,53-56

Naquele tempo:
Tendo Jesus e seus discípulos
acabado de atravessar o mar da Galiléia,
chegaram a Genesaré e amarraram a barca.
Logo que desceram da barca,
as pessoas imediatamente reconheceram Jesus.
Percorrendo toda aquela região,
levavam os doentes deitados em suas camas
para o lugar onde ouviam falar que Jesus estava.
E, nos povoados, cidades e campos onde chegavam,
colocavam os doentes nas praças
e pediam-lhe para tocar, ao menos, a barra de sua veste.
E todos quantos o tocavam ficavam curados.
Palavra da Salvação.

Vemos na liturgia de hoje a que presença bondosa e misericordiosa de Deus Pai já se fazia viva desde o início de todo criação e tudo que Deus criou viu que era bom. Por isso, devemos nos alegrar sempre com todas as obras do Senhor e em especial com o dom e graça de nossa vida.
A parti de tanto amor demonstrado para todos nós o nosso Deus foi se revelando e por fim se faz homem em nosso meio e se coloca a disposição para nos curar e nos ensinar como devemos viver para melhor testemunharmos todo projeto salvífico presente no Reino de vida e salvação. Assim, o Deus conosco, Jesus, se revelava por sua infinita bondade e misericórdia em acolher, curando e defendendo o povo. Eis o motivo portanto, que motivava todo o povo buscar o Mestre, para ouvi-lo, tocá-lo e ser salvo para servir melhor pelo Reino.
Assim como a vida de jesus, a nossa vida de fé e missão, não pode cair no comodismo, pois o Reino é dinâmico, e por isso faz-se necessário sim nos colocarmos sempre a buscar ainda mais Jesus e imitar todo seu modo de vida missionária baseada no amor e na misericórdia. Por isso, a liturgia nos motiva a relembrar como deve ser nosso agir de cristão.
 “O cristão de verdade não pode ficar parado. Ele nunca pode dizer que cumpriu a sua missão, pois ele deve estar sempre a caminho, sempre se lançando rumo aos novos trabalhos, prestando atenção aos apelos que a realidade faz, buscando superar novos desafios e obstáculos, sempre olhando com misericórdia os irmãos e irmãs, procurando conhecer os seus problemas e necessidades e sendo para todos a manifestação do amor de Deus que responde ao clamor dos seus filhos e filhas. Por isso, quando terminamos uma etapa da caminhada, devemos iniciar outra imediatamente, pois a proposta do Reino exige isso”. (CNBB)
Continuemos pois a anunciar a Cristo e a seu Reino de vida e misericórdia com nosso testemunho de cada dia. Abraços a todos(as) e boa semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *